Preencha os campos abaixo para submeter seu pedido de música:

UFPE cria banca para avaliar se aprovados pelas cotas são mesmo negros ou pardos

A Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) criou, para o processo de ingresso 2019 da instituição, uma comissão para avaliar se aprovados pelas cotas são mesmo negros (pretos ou pardos). A novidade foi publicada nesta sexta-feira (28) no edital de matrícula dos candidatos a serem selecionados no Sistema de Seleção Unificada (Sisu) 2019 para os cursos de graduação presenciais dos campi Recife, Caruaru e Vitória.

As matrículas serão realizadas nos dias 31 de janeiro, 1º e 4 de fevereiro de 2019. O edital, publicado no site da Pró-Reitoria para Assuntos Acadêmicos (Proacad), no menu Sisu, traz regras mais específicas para comprovação de cotas de pessoas com deficiência (PCD) e cotas étnico-raciais (L2, L6, L10 e L14).

A principal mudança é na comprovação das cotas étnico-raciais. O candidato autodeclarado negro (preto ou pardo) – tanto aquele selecionado na chamada regular quanto o convocado da lista de espera – passará pela Comissão de Validação da Autodeclaração, diante da qual preencherá e assinará a autodeclaração.

Em abril deste ano, a universidade havia instituído uma comissão provisória para apurar possíveis fraudes no sistema de cotas raciais e econômicas para ingresso na instituição. Pelo menos 17 denúncias haviam sido registradas. A Coordenação do Corpo Discente da Proacad confirmou a existência de vínculo de matrícula de estudantes em 11 casos. Dessas denúncias, 10 diziam respeito a pessoas que teriam se inscrito nas cotas como negros e são de outras raças. O outro caso era referente à comprovação da renda familiar.

 

A comissão para comprovação das cotas será composta por três membros titulares e suplentes, entre os docentes, técnicos administrativos e alunos da UFPE, que deverão possuir vínculo com grupos de pesquisa, núcleos de estudo ou movimentos sociais organizados ligados à questão étnico-racial. Em casos em que não existam indivíduos com vínculo, poderão ser aceitas pessoas que demonstrem proximidade. A comissão atenderá aos candidatos nos campi Recife, Caruaru e Vitória, nas datas e nos horários especificados no edital de matrícula.

De acordo com o pró-reitor para Assuntos Acadêmicos da UFPE, professor Paulo Goes, as mudanças “aprimoram o entendimento destas cotas, tornando-as mais claras aos candidatos para que não haja distorções”.

No caso das pessoas com deficiência, será exigida apresentação de exames específicos sobre a deficiência dos candidatos selecionados na chamada regular, além dos convocados da lista de espera, de modo a qualificar essas especificidades. A documentação, que será avaliada pela Comissão do Sisudef-UFPE, deverá ser entregue exclusivamente no campus Recife, conforme cronograma especificado no edital de matrícula.

 

Fonte: Diario de Pernambuco

Deixe seu comentário:

Curta no social

Curta no Facebook