Porque devo anunciar no segmento gospel?

1) O mercado gospel já se consolidou na mídia  e hoje já é representado por boa parte de consumidores da nossa sociedade. Só perde em crescimento para o de celulares.

2) Empresas que despertam para o potencial de consumo dos evangélicos, um mercado que cresce a cada ano, aumentam os seus lucros.  A massa evangélica cresce, e na mesma proporção, outras novas oportunidades de negócios. Segundo dados do instituto brasileiro de geografia e estatísticas (Ibge), esse segmento representa 25% da população brasileira, sendo assim, uma boa parte de consumidores em potencial. Um detalhe que as estatísticas não revelam é que o perfil desse consumidor é muito bem definido. Graças aos princípios que norteiam a fé dos cristãos, podemos afirmar que este público é fiel.

  • Ouvintes evangélicos
  • Ouvintes não evangélicos

audiência de uma rádio evangélica, não é formada apenas por ouvintes evangélicos

3) Houve uma época em que o segmento, sofria um certo preconceito, mas ele nunca deixou de ser consumista, a verdade é que o mercado demorou um pouco para despertar-se para esta verdade. O evangélico pode não consumir bebida alcoólica ou fumar cigarro, por exemplo, mas ele come, bebe refrigerante, se veste, usa produtos de limpeza, navega na internet, etc. O evangélico é um consumidor em potencial.

4) Uma audiência de uma rádio evangélica, não é formada apenas por ouvintes evangélicos, há muitos simpatizantes do segmento que ouvem as nossas músicas e até participam da nossa programação. Em percentuais poderíamos dividir o grupo de ouvintes em 75% de ouvintes evangélicos e 25% de não evangélicos.

5) O perfil do ouvinte de uma rádio gospel é o mais fiel, uma vez que muitos consideram a programação como uma extensão da igreja. Em relação ao ibope de fidelidade, esse segmento detém os maiores índices. É por estes motivos que sua empresa, alcançará êxito, uma vez decidida a investir na mídia do segmento gospel.